A mononucleose é popularmente conhecida como “a doença do beijo

A mononucleose é popularmente conhecida como “a doença do beijoA mononucleose é popularmente conhecida como “a doença do beijo

 

A mononucleose é uma doença transmitida pela ingestão de saliva contendo o vírus Epstein-Barr ou, de forma mais rara, o citomegalovírus, ambos da família Herpesviridae. Em virtude da sua forma de transmissão, é conhecida popularmente como a “doença do beijo”, acometendo mais frequentemente adolescentes e jovens. Em casos extremamente raros, o vírus pode ser transmitido por meio de transfusão de sangue, ou de mãe para filho, durante o período gestacional.

O vírus da mononucleose propicia o aparecimento de ínguas no pescoço e axilas, e febre alta e persistente. Em alguns casos, garganta e faringe se apresentam inflamadas, com placas esbranquiçadas em sua extensão; e as pálpebras superiores podem se apresentar inchadas (sinal de Hoagland). Erupções cutâneas também podem se manifestar, sendo comum essa ocorrência em pacientes que, erroneamente, foram tratados com antibióticos. Há também situações em que os sintomas não aparecem ou se apresentam semelhantes a uma simples infecção.

A doença pode também provocar, em menor ou maior grau, o comprometimento do fígado, baço e medula óssea – e pode propiciar o surgimento de linfomas e carcinoma na faringe

Para diagnóstico, além da análise clínica do paciente, é solicitado um exame de sangue específico. O aumento considerável dos linfócitos sanguíneos e a presença de algumas dessas células com conformação atípica são fatores que sugerem a presença do vírus.

A infecção dos vírus responsáveis pela mononucleose é crônica, assim como o herpes simples, mas geralmente só se manifesta uma vez. Dessa forma, o tratamento consiste, principalmente, no controle dos sintomas e também repouso, até que os exames revelem que o baço do indivíduo se encontra saudável novamente.

Levam-se aproximadamente dois meses até que os sintomas regridam por completo, sendo o desaparecimento das ínguas um dos últimos eventos. A pessoa acometida pode transmitir o vírus por aproximadamente um ano.

 

 

Durante o beijo, entramos em contato com a saliva do parceiro, que pode conter seres patogênicos. Entre as doenças que podem ser transmitidas, podemos citar a cárie e o herpes.A herpes labial pode ser transmitida pelo beijo (Por Maria Vanessa dos Santos)

 

Beijar muitas pessoas em uma noite é um comportamento facilmente observado entre os jovens. Apesar de parecer um ato inofensivo, o beijo expõe-nos a uma série de problemas, alguns extremamente sérios. Durante a troca de saliva, ocorre a transmissão de vírus e bactérias, por exemplo, que podem ser patogênicosA seguir listaremos cinco doenças que podem ser transmitidas pelo beijo:

→ Herpes labial

herpes labial, doença viral causada pelo herpes simples, não apresenta cura e pode ser transmitido pelo beijo. Normalmente não causa graves danos, entretanto, em pessoas imunocomprometidas, as consequências podem ser severas. Inicialmente o paciente percebe uma coceira e uma ardência local; posteriormente, surgem bolhas que se fundem e formam uma ferida que elimina secreção. Após um certo período, a ferida seca e inicia-se a formação de uma crosta.

→ Cárie

cárie é um problema de saúde de múltiplas causas que desencadeia a desmineralização da estrutura dos dentes. Muitas bactérias estão associadas ao problema e podem ser transmitidas pelo contato no momento do beijo. Para evitar a cárie, a saúde bucal é essencial.

→ Mononucleose

A mononucleose, também chamada de “doença do beijo”, é causada por um vírus denominado de Epstein-Barr, que é principalmente transmitido pelo beijo. O quadro clínico dessa doença é marcado por febre altafaringite e linfadenomegalia (aumento dos linfonodos). Podem ocorrer ainda dores abdominaisesplenomegaliahepatomegaliavômitos e tosse. Em casos graves, a doença pode causar a morte do paciente.

Meningite

meningite é uma doença grave caracterizada pela inflamação das meninges, membranas que envolvem o sistema nervoso. Essa doença pode ter causas variadas, como lesões, medicamentos, cânceres e infecções por bactérias, vírus e fungos. Como no momento do beijo ocorre a troca de saliva, esta pode contar organismos capazes de desencadear a doença, como a bactéria Neisseria meningitidis.

→ Sífilis

sífilis é uma doença infeciosa desencadeada por uma bactéria denominada de Treponema pallidum. É uma doença relativamente grave que, se não tratada adequadamente, pode evoluir para comprometimento de órgãos importantes como coração e fígado. Apesar de ser transmitida predominantemente por via sexual, a sífilis pode ser transmitida pelo beijo caso haja cancro na boca ou a pessoa esteja com sífilis secundária.

(Fonte:  Brasil Escola)


A síndrome da imunodeficiência adquirida é causada pelo vírus HIV, ou vírus da imunodeficiência humana, que ataca células do sistema imunológico, responsáveis pelo reconhecimento e combate dos agentes estranhos (bactérias, vírus, etc.) que invadem o organismo. A principal célula atacada é o linfócito T4.  Devido à deficiência do sistema imunológico, os soropositivos estão sujeitos a infecções por germes chamados oportunistas, que não causam problemas a pessoas com saúde normal. Além disso, são mais propensos a desenvolver alguns tipos raros de câncer, como o sarcoma de Kaposi. Essas infecções terminam por debilitar a saúde do paciente e até mesmo levá-lo a morte. Ainda não há cura ou vacina para a AIDS. Nem todas as pessoas que contraem o vírus HIV desenvolvem a doença, ela pode aparecer de forma assintomática. Contudo, o portador assintomático pode transmitir a doença para outras pessoas através do contato por sangue, sêmen ou secreções vaginais. Isso ocorre pelo ato sexual, pela recepção de sangue contaminado, pelo uso de seringas ou agulhas contaminadas, de mãe para filho durante a vida uterina ou na hora do parto, ou ainda por transplante de órgãos. Para evitar o contágio, deve se usar a camisinha, não utilizar seringas ou agulhas não esterilizadas e, se precisar de sangue ou fatores do plasma, certifique-se que procede de bancos de sangue que fazem o teste da AIDS. O grupo de risco inclui: heterossexuais, homossexuais, bissexuais, usuários de drogas injetáveis e pessoas que necessitam de transfusões de sangue ou fatores do plasma, como os hemofílicos.

Raiva ou hidrofilia

Essa doença, quase sempre fatal, ataca o sistema nervoso. É transmitida por animais domésticos, principalmente o cão, sendo por isso obrigatória a vacinação e o recolhimento dos animais soltos na rua. Quando uma pessoa é mordida por qualquer animal deve lavar várias vezes o local da ferida com água e sabão e aplicar um desinfetante. Se houver suspeita que o animal está raivoso, procurar urgentemente o hospital mais próximo o soro e vacina antirrábicos. Deve-se também exigir que o proprietário apresente o atestado de vacinação do animal.

Hepatite A Vírus

É uma inflamação do fígado que pode ser causada também por outros parasitas ou substâncias químicas. A transmissão ocorre por água e alimentos contaminados, principalmente quando há falta de instalações sanitárias adequadas, por transfusões de sangue contaminado, por seringas e agulhas de injeção mal esterilizadas. A evolução costuma ser benigna, mas a presença do médico é necessária e o doente deve ficar isolado, em repouso com boa alimentação.

 

(Fonte: Mundo Vestibular)

 

Radio Web Deus é FielAcesse