Esposa acredita na inocência de pastor

Esposa acredita na inocência de pastor George Alves

 

Acusado de molestar e matar seu filho e seu enteado, o pastor George Alves é representado por uma junta de advogados voluntários. Nesta quinta-feira (24), o grupo informou à Gazeta Online que a pastora Juliana Salles, esposa de George, acredita em sua inocência.Com pouco mais de um mês de investigações, a Polícia Civil concluiu que o pastor George matou o filho Joaquim, de 3 anos, e o enteado Kauã, de 6, carbonizados. Segundo o delegado André Costa, responsável pelo caso, os meninos foram agredidos depois de serem abusados sexualmente para ficarem desacordados e não tentarem fugir do fogo.

O crime aconteceu na cidade de Linhares, no Espírito Santo. O homicídio foi motivado exatamente para esconder os abusos.

A mesma junta de advogados que representa o pastor também representa a mãe das crianças. Apesar de o inquérito apontar que ela não teve participação e nem de que de estaria sendo investigada, o grupo informou que está disponível em caso de necessidade. À publicação, a advogada da junta, Milena Freire, criticou o repasse de informações do caso.– Infelizmente estão acontecendo muitos absurdos nesse processo que, apesar de correr em segredo de Justiça, os delegados e juiz vão à mídia expor toda a família das vítimas – destacou.

George Alves deve responder por duplo homicídio triplamente qualificado e duplo estupro de vulnerável. As penas máxima somadas chegam a 126 anos.

Nesta quarta-feira (24), o avô materno das crianças informou que a família soube da conclusão do caso pela TV e que Juliana Salles não estava em condições de comentar o crime.

O caso chocou as autoridades ao ponto de o chefe da Polícia Civil, Guilherme Daré, declarar que o caso era pior que o da menina Isabella Nardoni, assassinada pelo pai e pela madrasta em 2008.

Justiça nega liberdade ao pastor George Alves

O pastor George Alves ainda terá que passar mais algum tempo na prisão. Em uma decisão de sexta-feira (4), o Tribunal de Justiça do Espírito Santo negou um pedido de habeas corpus apresentado pelos advogados do religioso. As informações foram dadas pelo Gazeta Online.
George está detido temporariamente acusado de atrapalhar as investigações sobre a morte de seu filho, Joaquim, de 3 anos, e de seu enteado, Kauã, de 6 anos. O pastor está preso desde o dia 28 do mês passado. A decisão foi do juiz Grécio Grégio, que expediu um mandado de 30 dias.

Fonte de Noticia:gospel Tiame

Portal de Noticias

Portal evangélico de Noticias. As melhores noticias do Brasil e do mundo em tempo real. Musicas, eventos, esportes, diversão, ciências, medicina, saúde e tudo isso e muito mais pra você ficar informado dos acontecimentos.

Deixe uma resposta

Radio Web Deus é FielAcesse