Veja o que deve mexer com o mercado do milho nessa semana

Veja o que deve mexer com o mercado do milho nessa semana
Guerra comercial entre China e Estados Unidos continua a movimentar o humor dos compradores nos próximos dias


A guerra comercial entre China e Estados Unidos permanece no foco do mercado de milho nesta semana. Entre declarações negativas e tentativas de entendimento, os governos dos países parecem estar se aproximando do que chamam de “fase 1” do acordo.

No Brasil, a menor presença do consumidor no interior paulista leva a um quadro de deterioração dos futuros de milho, no entanto esse quadro é provisório. Acompanhe abaixo os fatos que deverão merecer a atenção do mercado de milho na semana. As dicas são do analista da Safras Consultoria, Fernando Henrique Iglesias:

O mercado permanece focado na Guerra Comercial entre EUA e China, avaliando o andamento das tratativas no decorrer da semana, agora com um posicionamento chinês em relação à conclusão de um acordo mediante a remoção das tarifas, situação que o Estados Unidos descarta;
As indicações no geral permanecem contraditórias, com o presidente norte-americano, Donald Trump, ainda apontando para uma evolução satisfatória das tratativas;

Outro sinal de boa vontade foi apresentado pela China no decorrer da sexta-feira, de acordo com a imprensa especializada teve início o processo de isenção de tarifas punitivas para a carne suína e a soja norte-americana;

O mercado também repercutiu o Survey que foi divulgado no decorrer da semana, de acordo com analistas e consultorias privadas o USDA deve posicionar os estoques finais em 1.859 bilhão de bushels, em novembro o USDA divulgou 1.910 bilhão de bushels. Para os estoques globais 19/20 o mercado espera 295,6 milhões de toneladas, contra as 296 milhões de toneladas indicadas em novembro;

O ritmo de negociações no decorrer da semana permanece cadenciado no disponível, com os consumidores em diversos estados ainda encontrando dificuldade na composição de seus estoques;

A maior morosidade logística no decorrer da segunda quinzena do mês acentua a necessidade de compra neste momento. A decisão de venda do produtor segue como um fator determinante;

No mercado paulista o cenário é diferente. A oferta permanece retraída, no entanto, a presença dos consumidores diminuiu no decorrer da semana, com um menor ímpeto de compra. A indicação de oferta na região da Sorocabana cedeu para R$ 44/45. O referencial Campinas foi posicionado a R$ 48,50 CIF;

A menor presença do consumidor no interior paulista leva a um quadro de deterioração dos futuros de milho, no entanto esse quadro é provisório. Uma vez, que a dificuldade logística a partir da segunda quinzena de dezembro remete a um maior ímpeto de compra na virada de ano. Além disso, os problemas climáticos durante o segundo semestre remetem a um quadro complicado para a safra verão, também deve ser considerada as dificuldades logísticas causadas pela necessidade em escoar a soja nesse período.

 

Veja o que deve mexer com o mercado do milho nessa semana

Veja o que deve mexer com o mercado do milho nessa semana

IBGE diz que Mulheres ganham espaço e são 19% dos produtores na agropecuária

Universo dos sabores-só receitas

Portal de Noticias

Portal evangélico de Noticias. As melhores noticias do Brasil e do mundo em tempo real. Musicas, eventos, esportes, diversão, ciências, medicina, saúde e tudo isso e muito mais pra você ficar informado dos acontecimentos.

Deixe uma resposta

Radio Web Deus é FielAcesse